“Os respeitáveis assassinos” (Poema de Marcelo Mário de Melo)

Não os declarados descarados mandantes dos cartéis do multicrime os médios e pequenos empreendedores os que fazem ataques autônomos na esquina. Mas aqueles que vestem fala mansa e de mãos limpas em mesa forrada de seda empenham-se em promover assassinatos jogando com baralho antigo de cartas duplas e múltiplos coringas na manga. Não mandam eliminar … Continuar lendo “Os respeitáveis assassinos” (Poema de Marcelo Mário de Melo)

Anúncios

1964: Jonas, Ivan e o sentido simbólico (por Marcelo Mário de Melo)

Em 1964 havia no Colégio Estadual de Pernambuco – CEP, antigo Ginásio Pernambucano, hoje novamente com o velho nome, no Recife, uma base do Partido Comunista Brasileiro com 25 jovens militantes, homens e algumas mulheres. A ação política se desdobrava nas reivindicações locais, nas campanhas pelo diretório estudantil e nas disputas com a direita em … Continuar lendo 1964: Jonas, Ivan e o sentido simbólico (por Marcelo Mário de Melo)