Reforma agrária – Em que consiste? 

Já faz tempo que a reforma agrária se faz assunto continuo na conjuntura brasileira. Afinal, um país de economia majoritariamente agrária com diversas terras improdutivas, ou sob prioridade no setor privado para o famigerado “lazer” ou em busca do “empreendimento financeiro” aos quais os proprietários apelam a fim de justificar as condições improdutivas de suas grandes propriedades.

E o que faz tal condição ser algo tão preocupante?

– As terras improdutivas tem, primeiramente, reflexos econômicos e sociais já no capitalismo, pois diversos trabalhadores passam a condição de desempregados devido a falência da empresa onde outrora eram empregados que passa a ser vendido a um outro proprietário que tem como único interesse o fator financeiro.

E qual seria este interesse?

– Os terrenos latifundiários geram muito lucro em seu lobby de vendas pois sobre este recorre grande especulação financeira num país de economia majoritariamente agrária (como já dito anteriormente). As bases da teoria econômica marxista já explicam que o preço decorre do trabalho a ser empenhado sobre um objeto ou espaço.     E a teoria do Valor-trabalho nos ensina que o espaço para o trabalho mais rentável será o espaço de maior valor, pois este possui valor-de-trabalho a ser empenhado.

Por isso há tamanha especulação financeira nos terrenos produtivos. Porém, a burguesia nacional utiliza-se desta alta especulativa financeira sobre os férteis e grandes terrenos nacionais para lucrar com juros e repasse Financeiro na especulação do mercado nacional ou na re-venda a produtores internacionais.

Decorrente desta grande improdutividade nacional que massacra a economia nacional, uma vez que esta se pauta sobre a agricultura e acaba tendo-a negligenciada em próprio território nacional, devido a ganância da plutocracia nacional.

Tal improdutividade agrária recai diretamente sobre o trabalhador com aumento do desemprego, alta dos preços em muitos des seus produtos básicos de consumo/alimentação etc…  Frente a isso se formou a agricultura familiar como medida contrária à titânia do setor financeiro e dos latifundiários; Onde as famlias e grupo de trabalhadores camponeses abastados e/ou desempregados se mobilizaram para ocupar terras e produzir nelas a fim de vender por preços mais acessíveis, e muitas vezes, produtos de maior qualidade, visto que a maior parte das agriculturas familiares utilizam-se de hortas orgânicas.

Onde entra a reforma agrária neste processo todo? – A reforma agrária é uma ação onde o estado redefine geograficamente as terras para produção junto a mobilização dos trabalhadores que irão gerenciar autonomamente por meio de sua mobilização nas terras produtivas. Este movimento é uma grande pauta Socialista desde a revolução russa, e fortemente trabalhada na China Maoísta. No Brasil este movimento prol a reforma agrária é conduzido por milhões de trabalhadores e camponeses e infelizmente alguns partidos se aproveitam de uma causa nobre, complicada e de extrema atenção para propaganda política e cooptação política. Como no clássico caso da aproximação do PT ao conhecimento MST.

Contudo, a improdutividade agrária por conta da especulação financeira do mercado nacional, é uma das tantas contradições onde o próprio capitalismo entra em crise, e como sempre – As pautas Socialistas se tornam inevitáveis!

Vinicius Dias de Souza

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s