Sobre a falácia dos esportes “masculinos” e “femininos”

Não existem "esportes masculinos" ou "esportes femininos". O que pode haver é diferença no resultado desportivo pelas aptidões biológicas dos sexos. Mas uma menor aptidão não torna um esporte "masculino" ou o oposto. Isso seria como dizer que "corrida é coisa de preto" ou "natação é coisa de branco". E aí, branco que corre "tá … Continuar lendo Sobre a falácia dos esportes “masculinos” e “femininos”

Não se constrói uma malha ferroviária com a “espontaneidade” das empresas privadas

Muitos sites e analistas políticos e econômicos estão começando a tocar no problema da falta de ferrovias no Brasil. (...) Só que boa parte desses são do tipo que defendem "menos Estado", acham que se tiver "muito Estado", o Brasil viraria "uma Venezuela". É o estranho caso do pessoal que quer viver em um país … Continuar lendo Não se constrói uma malha ferroviária com a “espontaneidade” das empresas privadas

A burrice dos liberais e inelasticidade da demanda dos combustíveis

Vamos partir do princípio de que boates são caras, especialmente para homens. Se todas as boates pertencessem a uma mesma empresa estatal liberais diriam que boates são caras porque "é monopólio" e "falta concorrência". Só que liberais não parecem entender que um dos fatores que mais influencia os preços das boates é a elasticidade (ou … Continuar lendo A burrice dos liberais e inelasticidade da demanda dos combustíveis

Somos um povo adoecido: sobre a nossa cultura de carros

Vendo uns programas hoje mais cedo sobre a Itália (o programa era "O Mundo Visto de Cima"), vi passando nas ruas o clássico Smart Car. Cheguei a vê-los pessoalmente por lá quando visitei. Pequeno. Econômico. Ecologicamente saudável. Há até versões elétricas. Bem esteticamente charmoso, até. Extremamente popular na Europa. Mas o que brasileiro gosta é … Continuar lendo Somos um povo adoecido: sobre a nossa cultura de carros