(Bruno Torres, 13 de março de 2017).

2017.03.13 - Ataque de titãs.png

O famoso anime, Ataque de Titãs, ganhou o coração de muitos jovens brasileiros e do mundo todo. O público tem aguardado ansiosamente a segunda temporada dessa série de ação e intriga.

E enquanto aguardamos, Ataque de Titãs será a primeira série do projeto Analisando Obras.

SINOPSE DA SÉRIE

A obra em geral trata da humanidade num contexto pós-apocalíptico, após um grande e estranho incidente. Surgiram, não se sabe como, criaturas humanoides gigantes, de alturas e aparências variadas (que  varia geralmente de 3 à 5 metros), mas que não possuem órgãos reprodutores, e que por alguma razão se alimentam de seres humanos.

Tudo é um mistério.

Não se sabe como eles se reproduzem. Não se sabe como o primeiro destas criaturas surgiu. Não se sabe porque eles devotam suas atenções a caçarem e a se alimentarem de seres humanos. Não se sabe nada sobre eles!

O fato é que toda a população mundial, em pleno século XXI, foi reduzida de mais de 7 bilhões de humanos a alguns punhados de milhares, tudo por conta desse incidente.

A humanidade na “atualidade” da série, não vive mais nas grandes cidades, não habitam mais em grandes prédios de vidros espelhados.

A humanidade hoje, vive em pequenos distritos, conectados todos uns aos outros por meio de grandes muros!

Os quatro primeiros distritos estão no primeiro Muro. Assim sucessivamente mais quatro distritos estão num segundo muro. E mais quatro distritos no terceiro.

Aí, dentro destes três muros, está organizada toda a população humana que sobreviveu até hoje aos misteriosos gigantes, conhecidos como “titãs”. Que ainda hoje luta por sobreviver e que também luta por respostas.

CRONOLOGIA: COMO É O FUTURO?

A série se passa num futuro um tanto distante. Já se passaram muitas décadas, quiçá séculos, desde que vivíamos em “liberdade”. Faz tanto tempo em que a humanidade se trancou dentro de muralhas para se proteger dos titãs, que eles mal sabem da existência de vários animais, criaturas, e até mesmo não fazem ideia de como é a água salgada ou o mar aberto.

A humanidade está, basicamente, aprisionada.

A tecnologia também recuou em vários aspectos. Dos aviões e carros super avançados, um dos veículos mais utilizados pela humanidade é a carroça. A forças produtivas da sociedade, retrocederam ao invés de avançar. Logo, as relações de produção também, e obviamente, também as superestruturas sociais.

Em síntese: o modo de produção retrocedeu à algo tão, mas tão retrógrado que voltamos na roda da história, do capitalismo ao feudalismo, não só em termos tecnológicos e econômicos, mas também político, social e cultural.

Embora, claro, o feudalismo de Ataque de Titãs não seja igual ao feudalismo que a humanidade já vivenciou. Ainda preservarmos bastantes conhecimentos científicos, mas eles quase que sempre se voltam mais às áreas como medicina e biologia, e quase nunca a produção econômica.

AS TRÊS MURALHAS

Você irá perceber que as muralhas em Ataque de Titãs vão passar por quase tudo. 1) Elas entrecruzam a organização da sociedade e a divisão dela em classes sociais (ou até mesmo em estamentos). 2) Elas são elementos simbólicos no discurso ideológico e “religioso” que justificam a organização da sociedade da forma como ela é. 3) Elas, evidentemente, possuem uma finalidade de defesa militar em relação às ameaças externas (que neste caso são os Titãs).

As muralhas então, necessariamente, vão tocar no central de nossa exposição e análise sobre esta série animada.

A SOCIEDADE ESTAMENTAL

Há uma clara divisão de classes na sociedade de Ataque de Titãs. E estas divisão pode ser facilmente compreendida por meio da divisão que temos nas muralhas.

Como sabemos, existem três muralhas: 1) Maria, 2) Rose e 3) Sina. E estas 3 muralha estão divididas da seguinte forma:

Os campos e a muralha Maria: A área onde os humanos habitam são apenas os distritos. A grande área “vazia” fora dos distritos, que vivam entre uma grande muralha e outra, são os “campos”, onde atuam aqueles que plantam, que trabalham a terra. Em geral, estes que realizam esse tipo de trabalho, geralmente, vivem na terceira Muralha, a muralha Maria.

As camadas médias e a muralha Rose: Existem também aqueles que costumam comercializar. Os atravessadores, comerciantes em geral, as camadas médias, etc., geralmente vivem nos distritos da segunda Muralha, a muralha Rose.

Nobres e muralha Sina: Aqueles de “linhagem nobre”, os burgueses mais abastados, e a Divisão Militar de Elite (conhecida como “Polícia Militar”), são aqueles que residem na terceira muralha, a muralha Sina.

Família Real: Além da muralha Sina, há mais um muro de proteção para a família real, no centro de tudo. Desta vez um muro quadrado, que não faz parte das três muralhas “santificadas”. Este espaço é onde se localiza os governantes de toda a humanidade, a família real. É o espaço mais protegido de todos.

Os distritos mais conhecidos estão nomeados no mapa

COMO É TRATADO O POVO DA MURALHA MARIA

[OBS: Pule esse tópico se você não quiser ler spoiler]

Num dos primeiros episódios, podemos ter uma noção de como é tratado a população da muralha Maria, que em sua maioria são camponeses e trabalhadores.

O primeiro episódio da série se trata da infância de Eren Yeager (protagonista), ajudando sua família, trabalhando no campo. Eren é residente de um distrito da muralha Maria, e ao voltar para casa, se depara com um ataque de titãs que consegue invadir seu distrito e, inclusive, capturar e devorar sua mãe na sua frente. Uma imagem que traumatizou o garoto pelo resto de sua vida.

Eren e todos os sobreviventes fogem para o distrito mais próximo na muralha Rose (a segunda muralha), uma vez que o seu distrito natal na primeira Muralha, foi invadido e está lotado de titãs.

Quais são as ordens do governo em relação a esta população? Todos os adultos são ordenados a se “alistarem” imediatamente, e são mandados a uma missão de emergência para combater os titãs que invadiram o distrito natal deles. Veja bem. Trabalhadores, em sua maioria camponeses, sem treinamento algum, nem muito menos treinamento militar contra titãs, são mandados aos milhares para repelir a invasão titã.

Obviamente, a “missão” que o governo real ordenou à eles foi um fracasso. Mas, se considerarmos as reais intenções do governo, ela foi um sucesso.

Uma vez que “uma grande concentração de população” não seria bom num distrito das camadas médias e burguesas da sociedade e poderiam gerar tensões sociais indesejáveis, o governo prefere jogar essa população sobrevivente para a “morte certa” numa missão obviamente suicida. Sacrificar milhares para não ter problemas futuros, sob a justificativa de que foram mandados numa “missão”.

As camadas mais pobres são tratados com este nível de descarte na sociedade de Ataque de Titãs.

[OBS: Agora o soiler acabou]

OS MILITARES

Uma vez que a maior ameaça da sociedade, pelo menos por ora, não são tensões entre a própria humanidade ou a própria sociedade, mas sim contra uma ameaça externa que são os titãs, as Forças Armadas agora se voltam a um novo sentido de “defesa”.

O sentido das Forças Armadas foi “alterado” pelas novas circunstâncias em que se encontram a humanidade. Agora existem três divisões militares:

Divisão de Reconhecimento: Esta é uma divisão militar responsável por explorar para além das três muralhas. Seu objetivo para além de matar os titãs que puderem é recolher material que possa trazer respostas em relação aos titãs, que ajudem em alguma pesquisa, por mais mínima que seja. Geralmente são os que sofrem mais riscos, e costumam ter mais baixas, pois é o serviço mais perigoso.

Divisão de Guarnição: Está divisão toma conta das Muralhas, geralmente trabalham em cima delas. Sua responsabilidade é proteger a integridade das muralhas e prezar pela ordem (para os casos de tensões sociais). Eles atuam contra os titãs apenas para o caso de tentativas de invasão, rompendo as muralhas, por parte dos gigantes humanoides.

Polícia Militar: Apesar do nome, esta é uma divisão “de Elite” das Forças Armadas. São como guardas reais ou cavaleiros de Elite. Sua função é zelar pela segurança da família real, cobra os impostos em nome do Rei, etc. Não obstante, são a divisão que se encontra os maiores casos de abuso de autoridade e corrupção (embora nunca ou quase nunca punidos ou julgados). Apenas as pessoas com melhores notas dos exames militares conseguem chegar a tal divisão.

Respectivamente, emblema da Divisão de Guarnição (à esquerda), Polícia Militar (meio) e Divisão de Reconhecimento (à direita).

Como podemos ver, apesar as Forças Armadas ter sido “ressignificada” a novas formas e circunstâncias, fica cada vez mais claro a necessidade de prezar pela “ordem”, e de uma polícia especial para proteger os governantes e a elite econômica.

eja hoje, seja na idade média, seja num futuro pós-apocalíptico, caso haja uma sociedade de classes, haverá na superestrutura um segmento designado a justificar a ordem vigente por meio das armas.

TECNOLOGIA MILITAR

Como os militares são muito usados no combate aos titãs, eles desenvolveram tecnologias novas que, com o treinamento devido, permite a sua movimentação “no ar” para a direção que você deseja, por meio de cabos. Este aparelho se chama “Aparelho de Movimentação Tridimensional”.

Por meio desse “AMT” eles conseguem saltar, se balançar, correr em muros, árvores, edifícios, etc., se movimentando a fim de atingir um ponto fraco do titã. Esse tipo de equipamento é essencial, para que um ser humano consiga combater um titã de nível de igual para igual ou até em superioridade.

Como a alta mobilidade do “AMT” exige muito esforço do usuário, é necessário um bom sendo de equilíbrio, bem como uma preparação física especial, senão, corre-se o risco de sobrecarregar os músculos.

Elas, inclusive, podem lembrar as “teias” do homem-aranhã, e por isso mesmo são inúteis em terreno aberto e plano: é necessário que hajam edifícios, árvores, muros, etc.

SUPERSTIÇÃO E RELIGIÃO

Como sabemos, as três Muralhas são: 1) Maria, 2) Rose e 3) Sina. Elas são nomeadas com nomes de pessoas, porque são mais do que simples muros.

Depois de tanto tempo da humanidade vivendo sob tais muros, acreditando na proteção dos mesmos para que eles vivam mais anos de suas vidas sem serem atacados por titãs, os muros ganharam uma denotação quase divina.

Mais do que muralhas, elas são “santas”. O status da muralha é um status quase que mitificado. Há uma consciência supersticiosa (para não dizer religiosa) que paira por quase toda a população que “pede proteção” à Maria, à Rose e à Sina, que nada mais são do que as muralhas.

Obviamente este é um elemento da ideologia dominante, reforçado pelos governantes da família real, para justificar a ordem social estabelecida.

Este fator supersticioso e religioso é reforçado para justificar a sociedade dividida em estamentos. Lembremos que as classes sociais em Ataque de Titãs são percebidas também por meio do local em que você reside, que tem a ver quase que sempre com o local onde você nasceu: se você descende de um camponês que reside na muralha Maria, provavelmente você também vai sê-lo, tal como você seria um nobre da muralha Sina se seu pai o fosse. A divisão em muralhas e a divinização dessas muralhas ajuda a justificar ideologicamente esse tipo de sociedade.

Por outro lado, o componente religioso das muralhas também colabora para as classes dominantes se precaverem de maiores problemas e distúrbios sociais.

Se a população acha que pode ser atacada a qualquer momento e pode ser um alvo fácil de titãs, ela não ficará tranquila, e uma população não tranquila, pode gerar problema para a família real e as classes dominantes.

Então se um instrumento de proteção a estas pessoas, mesmo que possa ser passível de falha, possui características “divinas”, isso ajuda a manter as pessoas tranquilas. “Não é só um muro que está me protegendo, mas sim Maria, a primeira protetora”.

https://i0.wp.com/media.comicbook.com/uploads1/2015/06/news-xlarge-shingeki-m-1-139229.jpg

COMENTÁRIOS FINAIS

Para além da ação e de uma trama envolvente que prende as pessoas que assistem, ela pode trazer reflexões em relação à sociedade de classes, por meio do retrato da sociedade estamental ali representada, seja para compreensão da sociedade atual ou até de nossa idade média (por meio dos evidentes traços de feudalismo apresentado no cenário). Trás, inclusive, um paralelo interessante: de como seria uma sociedade feudal e estamental, mesmo com a manutenção de algumas tecnologias e o desenvolvimento de outras.

A também obra não é nem um pouco “infantil”. A morte de pessoas do círculo central de personagens é uma constante, e está sempre passível de acontecer (embora não chegue a níveis de um Game of Thrones da vida). A série não deixa de ter cenas marcantes, tais como pessoas sendo mordidas e partidas ao meio por humanoides gigantes e grotescos.

Por fim, eu recomendo a todos esta série.