“Meu avô viveu a ditadura e disse que a época era muito boa”, disse Zé Fulano na Internet

Torcida

“Meu avô viveu a ditadura e disse que a época era muito boa e que ninguém era assaltado.” – disse Zé Fulano na Internet.

A opinião pessoal de uma pessoa ou de seu avô (que pode muito bem ter sido militar, empresário ou político da era) não é argumento para se entender uma sociedade. Até porque meu avô tem uma opinião contrária.

– O governo de Idi Amin em Uganda é considerado uma das mais brutais do mundo. Mas muitos ugandenses acreditam que ele foi um excelente líder.
– O governo de Saddam Hussein foi problemático e brutal em vários sentidos. Mas muitos iraquianos (entre eles, gente que derrubou suas estátuas e afirmam ter sofrido em seu governo) sentem sua falta agora que experimentaram a “democracia e a liberdade” dada pelos EUA.
– A Arábia Saudita é considerada um dos piores países do mundo para ser mulher. Mas se perguntar a uma mulher Saudita o que ela acha das leis restritivas a mulheres em seus países, muitas dirão que concordam.
– O governo de “Baby Doc” Duvalier no Haiti foi marcado por corrupção, pobreza, abusos e violência política. Por causa disso, foi derrubado e fugiu do país. Em 2011, pode voltar do exílio e, ao descer do Aeroporto, uma multidão de haitianos estava lá para recebê-lo calorosamente de volta com cânticos de apoio como “Eis o meu Presidente!”.
– Muitos colombianos lamentaram a morte de Pablo Escobar. O brutal narcotraficante foi responsável por desenvolver vários projetos sociais em Medellín. Aliás, não faltam no mundo cidadãos que vivem sob o jugo do Narcotráfico mas admiram seus brutais chefes de cartel.
– Muitos portugueses sentem falta de Salazar, muitos indonésios sentem falta de Suharto, muitos filipinos sentem falta de Ferdinand Marcos – a despeito do autoritarismo, brutalidade e corrupção que marcou esses regimes.
– Dezenas de países no mundo ainda são governados por ditadores, líderes corruptos, mafiosos, terroristas. Os fatos demonstram que esses países tem problemas sociais, econômicos e políticos graves. Mas, se perguntar a algum deles a “opinião pessoal” sobre como é a vida lá, eles vão dizer que é ótima, que o líder deles não é um ditador ou corrupto, etc.
– Hoje, os alemães sentem vergonha e asco de Adolf Hitler. Um alemão em 1944 certamente mataria – e se mataria – por seu amado Fuhrer.

Dito isto, é fato de que a Nostalgia pelo Socialismo na URSS é forte entre os russos. Eu mesmo posso dizer que a opinião de muitos russos com quem conversei e converso sobre a URSS e o Comunismo é a favor deles.

Pesquisas dizem que figuras vistas com asco no Ocidente como Stálin, Lênin, e até Brejnev e Putin são admiradas pela maioria dos russos, enquanto figuras responsáveis pelo fim da URSS como Gorbatchov e Ieltsin são odiadas pela maioria (https://www.rt.com/politics/brezhnev-stalin-gorbachev-soviet-638/, https://br.sputniknews.com/russia/201706278738098-stalin-figura-mais-admirada-russos-pesquisa/) e uma pesquisa feita em 11 ex-repúblicas soviéticas mostram que em 7 delas, a maioria da população viu mais prejuízo do que benefício na dissolução da URSS, com os mais velhos – que viveram a época – os que mais vem prejuízo. (https://news.gallup.com/poll/166538/former-soviet-countries-harm-breakup.aspx). Da mesma forma que vários Europeus do Leste sentem falta também do Socialismo (https://www.economist.com/europe/2017/10/12/many-eastern-europeans-feel-nostalgia-for-the-communist-era) . Há inúmeras outras pesquisas de institutos diferentes em anos diferentes – mas todas elas ressaltam essa tendência.

Claro que a opinião pessoal dos antigos moradores da URSS, do Leste Europeu, e outros países socialistas não é argumento definitivo para a vida na URSS e o Socialismo. Até mais porque dentro do próprio Campo Socialista haviam várias diversidades políticas e ideológicas no planejamento de como construir o Socialismo e também várias discordâncias entre comunistas pelo mundo.

Mas percebam que a MAIORIA dos que viviam em país Socialista defendem o legado do regime, enquanto aqui no Brasil nossa “gloriosa revolução redentora” é vista como tendo deixado mais realizações negativas do que positivas para o país por uma parcela duas vezes superior à dos avaliam o contrário. E a maioria prefere a Democracia do que uma Ditadura – embora críticos de nossa democracia burguesa. É o que diz pesquisa Datafolha: http://datafolha.folha.uol.com.br/opiniaopublica/2014/03/1433561-brasileiros-preferem-democracia-mas-sao-criticos-com-seu-funcionamento.shtml. Outra pesquisa, do Instituto Paraná Pesquisas, mostra que quase 60% dos brasileiros são contra a Intervenção Militar https://exame.abril.com.br/brasil/um-a-cada-tres-brasileiros-apoia-intervencao-militar-no-pais/) Embora, em se tratando do Instituto de tendência conservadora que disse que Aécio ganharia as eleições em 2014 por uma ampla margem, eu tenho a impressão que é bem maior que 60%.

Feliz Copa na Rússia – país onde, apesar de todos os problemas, a simbologia dos tempos soviéticos ainda é bem vista em todo lugar.

Por Comunista Opressor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s