Sobre a falácia dos esportes “masculinos” e “femininos”

https://i0.wp.com/f.i.uol.com.br/folha/esporte/images/17341221.jpeg

Não existem “esportes masculinos” ou “esportes femininos”.

O que pode haver é diferença no resultado desportivo pelas aptidões biológicas dos sexos. Mas uma menor aptidão não torna um esporte “masculino” ou o oposto.

Isso seria como dizer que “corrida é coisa de preto” ou “natação é coisa de branco“. E aí, branco que corre “tá se pretificando“, e preto que nada “tá se branquificando“?

Quando você joga ping-pong, então, você tá se “chinificando”? Tá virando “pasteleiro”?

O desporto tem como fim a excelência, a superação dos limites físicos, e se mulheres são seres humanos o desporto tem o mesmo significado para elas.

O homem não é o oposto da mulher.

Homem e mulher são criaturas físicas (mas não só), que, devem desenvolver o corpo para os mesmos fins: maior força, maior flexibilidade, maior resistência, melhor coordenação motora, mesmo que em algumas coisas os limites masculinos sejam mais amplos.

Não entrem para o bonde do Jack Donovan.

R. Machado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s