“Imagem é um negócio brabo”, sobre o poder da imagem (por Matheus Novaes)

https://i1.wp.com/inapcache.boston.com/universal/site_graphics/blogs/bigpicture/koreanwar_06_23/N9903144.jpg

Imagem é um negocio brabo.

Brotaram imagens de escravidão na Líbia e todo mundo ficou chocado. Com algo que já se falava há mais de ano.

É interessante o poder da imagem.

Ela te pega mesmo e você sente aquilo. Muitas vezes o que o cara que bota a imagem quer que você sinta, né. Mas deixa esse assunto para depois.

Mas e quando a imagem não pode sensibilizar ninguém para a verdade?

Quando Kadafi tava vivo qual imagem usaríamos para dizer que é melhor ele vivo do que morto? As imagens do futuro? As imagens da democracia Líbia? Náh, isso não choca ninguém.

Agora vem a Imagem de um míssil norte-coreano.

Eu pego pra você e jogo na tua cara uma porrada de estudo e documento dizendo que a Coreia não só é a vítima como ela está certa demais. Mas você vai ignorar.

Tem que esperar a imagem. A foto.

Bom, por ora, não tem.

Aliás, tem umas imagens de prédios bacanas, escolas e universidades, bairros limpos e áreas de lazer. Mas isso não te toca. E nem deve mesmo.

Mas se o gordinho morrer eu te arranjo umas imagens fodas do que os americanos vão fazer na Coreia.

Aí você vai se sensibilizar quando transformarem a Coreia num mar de bombas, de corpos e prostitutas.

De novo.

Porra, as imagens de 1950 servem? Tenho várias se for o caso.

Matheus Novaes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s