ELN rejeita acordo de desarmamento das FARC com o “regime oligárquico” colombiano

O Exército de Libertação Nacional (ELN) rejeita o acordo entre o Governo e as FARC para o desarmamento, que em sua opinião dá espaço à repressão contra as reivindicações sociais.

ELN rejeita acordo de desarmamento das FARC com o “regime oligárquico” colombiano

Através de um comunicado, o ELN advertiu que, com este acordo “o Governo nega a natureza política do levantamento armado e mantém intacto o regime oprobioso de violência, exclusão, desigualdade, injustiça e depredação”.

Na mesma linha, argumenta que “se as guerrilhas se desarmarem, será maior a entrega da pátria aos interesses imperialistas” e “a oligarquia irá se encorajar com maior repressão contra as reivindicações sociais”.

A segunda guerrilha colombiana assegurou que enquanto for mantido “um regime oligárquico” em seu país, é uma obrigação se manter como guerrilheiros de armas na mão.

O ELN alertou de que para o Governo de Juan Manuel Santos “a paz não é uma convicção política, mas unicamente um cálculo econômico, porque é mais barato levar a insurgência à legalidade sem se comprometer com as transformações que a sociedade precisa”, tais como a justiça social, a equidade, a dignidade e a soberania.

Também criticou os outros acordos alcançados até agora pelo Governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) -desenvolvimento agrário e rural, participação política, drogas e vítimas- porque “deformam os fundamentos essenciais do direito à rebelião”.

O texto recrimina que “torna evidente que o objetivo principal da comandância das FARC é se converter em uma organização legal, aceitando uns acordos que exculpam o Estado de sua responsabilidade no desenvolvimento da guerra suja e o Terrorismo de Estado”.

Por outro lado, o ELN acusou o Governo de congelar o início da fase pública das negociações de paz que as partes anunciaram no passado dia 30 de março, depois de quatro anos de contatos iniciais na sombra e considera esta paralisia uma decisão unilateral com a qual o Governo tenciona impor condições por fora da formalidade da mesa de negociações, fazendo exigências que jamais foram acordadas.

Tradução do Diário Liberdade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s